O que dizem sobre a ESB

Mensagem do Pedro

Bem-vindo à Escola Superior de Biotecnologia!
É com muito prazer que recebemos novas caras nesta instituição e esperamos que nela tenhas muito sucesso!

Para além de todo o tempo e dedicação que todos nós devemos dar ao nosso curso, também as atividades extracurriculares (como o Associativismo e o Voluntariado) merecem especial atenção. Aqui na ESB poderás envolver-te nas seguintes: Associação de Estudantes da Escola Superior de Biotecnologia UCP, Associação Nacional de Estudantes de Nutrição (ANEN), Sociedade de Debates da UCP, Unidade para o Desenvolvimento Integral da Pessoa (UDIP), Católica Solidária (CASO), Clube dos Investigadores, Programa do Mentorado, entre muitas outras. Com uma longa história e tradição, a Tuna UCP, a Tuna Feminina UCP e o Grupo de Fados e Guitarradas UCP também se encontram recetivos à tua chegada e, certamente, estarão de portas abertas para acolher novos membros. Não esquecendo, evidentemente, a Praxe.

O principal objetivo da AEESBUCP é zelar pelo bem-estar dos alunos, por isso, estaremos sempre disponíveis para te ajudar em qualquer momento da tua vida académica, uma vez que somos um forte elo de ligação com toda a Comunidade ESB, bem como com outras entidades académicas.

A Associação de Estudantes é o sítio ideal onde te deves dirigir! Estamos à tua espera!

Saudações académicas,

Pedro Meirinhos
Estudante da licenciatura de Ciências da Nutrição
Presidente da Associação de Estudantes da Escola Superior de Biotecnologia

 

Entrevista da Milena

O sonho da Milena é trabalhar na área da inovação numa industria relacionada com a panificação, desenvolvendo novos produtos ou novas formulações para os produtos de sempre.

O que mais a surpreendeu na ESB é o facto de os professores saberem o nome dos alunos, o que nunca lhe tinha acontecido, nem no último ano da sua licenciatura.

A Milena é licenciada em Ciências da Engenharia (Perfil Alimentar) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Ao terminar a sua licenciatura sentiu que a sua formação não estava completa e por isso procurou os mestrados da Escola Superior de Biotecnologia (ESB) da Universidade Católica Portuguesa (UCP). Na verdade já tinha sido aluna da ESB, pois frequentou a Escola de Tecnologias e Gestão Industrial (ETGI) antes de entrar na faculdade. Por isso, já conhecia os professores e a qualidade do ensino da ESB e sabia que a UCP era a única que, no Porto, oferecia o mestrado em Engenharia Alimentar, uma etapa fundamental para continuar a perseguir o seu sonho. Claro que também fez contas, porque o investimento era significativo, e não tomou a decisão de ânimo leve.

A Milena teve que pedir um empréstimo bancário para pagar os custos da sua formação (cerca de 10.000 euros). Mas fê-lo porque já sabia, por experiência, que na ESB o ensino é centrado no aluno, que os professores são solícitos e se envolvem com os alunos na resolução dos problemas e em novos desafios, que existe um pavilhão onde pode contactar com os equipamentos habituais numa industria alimentar e que as condições de ensino são melhores porque há um baixo rácio de alunos por professor, área de trabalho e equipamentos.

Através da ESB, tem uma bolsa de estudo atribuída pela empresa CSM Ibéria, onde está a desenvolver o seu projeto de mestrado. Esta bolsa permite-lhe pagar as propinas de um semestre de tese. A contrapartida que a Milena dá à empresa é ajudar a resolver um problema concreto e real no seu processo produtivo. Neste caso em concreto, a Milena estudou o rótulo do bolo de arroz produzido pela empresa, para analisar a composição das tintas e eventual migração de substâncias para o bolo. Sente que a sua tese tem um forte fundamento prático, porque contribui para a segurança alimentar do consumidor.

Por ser boa aluna, a Milena recebeu ainda uma Bolsa de Mérito da Católica Porto, o que lhe garantiu 25% de redução de propinas e um cheque formação que pode usar em cursos na Católica Porto durante os próximos 3 anos.

Quanto a oportunidades de entrada no mercado de trabalho sente que poderia ser maior se tivesse realmente desenvolvido o trabalho a 100% na empresa, por exemplo na área da qualidade. No seu caso, o desafio que lhe foi colocado pela empresa obrigou-a a desenvolver a maior parte do projeto na ESB, pois só aqui existe o equipamento e condições laboratoriais exigidos para dar resposta ao problema. Mas está otimista, sente-se capacitada e vai começar a procurar um trabalho na área da qualidade e inovação ligada ao sector da pastelaria e panificação.

A Milena recomenda ainda aos futuros mestrandos que antes de encetarem a sua tese tenham plena consciência do que pretendem fazer no futuro: se planeiam seguir investigação ou ingressar o quanto antes no mercado de trabalho, de modo que possam fazer a melhor escolha do projeto no qual se vão envolver.

 

Entrevista da Filipa

A Filipa leva da ESB a experiência de uma ótima relação com os professores, que garantem uma qualidade de ensino inequivocamente melhor: “não vêm para as aulas debitar matéria, na ESB os professores são verdadeiros facilitadores da aprendizagem e estabelecem uma relação com os alunos.”

Tem plena consciência que a reputação da Universidade no currículo é fundamental mas, sabe que para ser uma profissional de excelência também tem que ser dinâmica, e proactiva,  uma perceção que consolidou durante seu duplo estágio na UNICER.

A Ana Filipa estudou bem as ofertas antes de escolher o Mestrado em Engenharia Alimentar na ESB. Depois de terminar a sua licenciatura em Ciências da Engenharia (Perfil Alimentar) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, pretendia prosseguir para mestrado mas aspirava fazer uma boa escolha. Considerou a ESB pelo seu prestigio e qualidade do ensino. Um dos fatores determinantes para optar pela ESB foi o Plano de Estudos do Mestrado, que é muito pragmático, está muito centrado nos processos e no desenvolvimento de novos produtos, bem como assegura um estágio numa empresa. Segundo a Filipa, este último facto foi decisivo porque é a garantia de ligação ao ‘mundo real’.

E não há dúvida que a Filipa conseguiu esse vínculo ao contexto empresarial. Para fazer o seu estágio pode integrar-se numa grande empresa do ramo alimentar – a UNICER – um dos parceiros da ESB. Teve a fortuna de entrar num momento em que a empresa estava a investir no aumento da capacidade de produção e na remodelação das instalações. Por isso, o desafio que lhe foi colocado foi o de validar e otimizar a instalação de higienização das novas linhas de enchimento, um trabalho que começou ‘desde o zero’ e que foi uma verdadeira experiência em contexto de trabalho, na qual lidou com situações que tinham “tudo menos ser meramente académicas”. E a Filipa afirma com orgulho que a equipa da UNICER confia muito na equipa da ESB e seus alunos. Os orientadores na empresa olham para os mestrandos como uma mais valia, alguém que realmente acrescentam valor aos projetos, e sabem reconhecer o seu trabalho. E a empresa tem tantos projetos que a Filipa já esta envolvida noutro.

Durante a sua fase de formação em contexto de empresa, a Filipa teve uma bolsa de 120 euros por mês, o que foi uma agradável surpresa com a qual não contava. E com isso sentiu-se ainda mais responsabilizada no seu trabalho. Depois de concluir o estágio curricular, a UNICER convidou a Filipa para um estágio profissional, que à partida se prolonga até outubro de 2013.

Quanto a oportunidades de entrada no mercado de trabalho sente que o Mestrado da ESB e a sua experiência profissional na UNICER são excelentes cartões de visita no seu currículo. Mas mais importante do que isso é o facto de sentir que foi uma experiência de vida : ‘ foi muito enriquecedor, sinto que estive em algo novo, que me deparei com os problemas reais e consegui dar resposta. E isso é o que conta no mercado de trabalho, saber encarar desafios e resolver problemas. Sinto que fui posta à prova e passei.’

Inclui nos seus planos para o futuro a possibilidade de empreender algum projeto novo. Um ‘bichinho’ que também nasceu depois de passar pela formação na ESB, onde o ambiente é muito amigável para os empreendedores e o plano curricular inclui módulos na área da inovação.

Como recomendação para os futuros mestrandos, a Filipa sublinha que devem entrar neste Mestrado com um espírito empreendedor e proactivo e aproveitar ao limite o excelente ensino e a forte presença, conhecimento e disponibilidade dos professores.

 

Testemunhos

Há cerca de três anos, desde que entrei na vida universitária, que venho a preparar este momento, o momento de sair da zona de conforto e partir à aventura. O ano passado contei os dias até as candidaturas começarem e foquei-me em ser um dos sortudos a entrar na University of Twente, na Holanda, para realizar o meu estágio e relatório final no âmbito de Engenharia Biomédica. Quando soube que tinha conseguido o lugar coloquei mãos à obra e fui criando contacto com a Universidade. No dia 12 de fevereiro cheguei ao meu local de acolhimento e posso-vos dizer que isto está a ser fantástico e que estou a adorar. Tenho eventos todos os dias, os meus supervisores e colegas de trabalho são fenomenais e muito acessíveis (também organizam jantares e momentos de convívio) e estou a aprender muito. Está a ser uma das melhores experiências da minha vida académica. Entretanto, aproveito para viajar e fazer novos amigos e conhecimentos. Quem sabe não teremos mais estudantes internacionais na Queima das Fitas? Aventurem-se e boa sorte!

Tiago Gonçalves, Estudante do 3º Ano de Bioengenharia (especialidade de Engenharia Biomédica) durante o semestre de estágio no estrangeiro


Numa altura difícil da minha vida, os Apoios Sociais de que usufruí enquanto estudava na Católica permitiram-me descansar relativamente à propina. Só com estes apoios é que foi possível concluir o meu curso com sucesso. Hoje já saldei o valor em falta e encontro-me muito satisfeita com a minha situação profissional.

Ana Pintéus, diplomada pela ESB


A Universidade Católica do Porto não foi a primeira instituição que me acolheu no Ensino Superior (…). Na Universidade Católica senti-me realmente “especial” e não apenas mais um aluno. Nesta instituição, para além do melhor ensino, proporcionado pelos melhores profissionais, foi-me dada a melhor orientação e o melhor acompanhamento, fatores que sem dúvida a diferenciam…

Ana Sampaio, finalista de Ciências de Nutrição


A multidisciplinaridade do Curso de Engenharia do Ambiente, de vertente marcadamente tecnológica mas com espaço para as ciências humanas, fornece aos novos engenheiros do ambiente as competências adequadas para atuarem em áreas diversas, e uma polivalência essencial no mercado atual de trabalho.

António Frutuoso, Sócio-gerente, SIA, Sociedade de Inovação Ambiental Lda. (Porto)


ESB… Sim, foi esta instituição que me ajudou a estar preparada para a vida profissional, e a encarar este mundo (…) com força, dedicação e persistência.

Cristina Polido, Coordinadora de Health, Safety & Environment, Johnson Controls (Portalegre)


A ESB garantiu-me as competências profissionais que o mercado de trabalho exige no campo das Ciências da Nutrição, sem esquecer a imagem de qualidade e credibilidade que a Universidade Católica transmite por si só, fruto de muitos anos de trabalho e dedicação. Sinto-me apta a intervir em vários projetos na área da Nutrição graças à excelente componente curricular do curso que é regida por um painel de distintos docentes, sem desprezar as notáveis instalações de ensino.

Catarina Quelhas, nutricionista da Eurest


O renome e a competência dos professores, a exigência do ensino, as instalações, a organização e teor do curriculum disciplinar, e a componente prática […] oferecem às empresas/universidades uma imagem da qualidade e competência de formação nesta Escola.

Carla Liz, Investigadora na Nestlé (Vers-Chez-les-Blancs, Suíça)


A minha educação na Escola Superior de Biotecnologia (…) abriu-me a porta a espetaculares oportunidades profissionais.

João Pedro Pereira, professor da Escola de Medicina da Universidade de Yale (EUA)


A minha passagem pela ESB fez-me crescer como Pessoa (…) muito do que aprendi na minha passagem pela ESB, foi determinante para ter tido uma experiencia tão rica e diversificada.

Joana Queiroz Ribeiro, Diretora de Pessoas e Comunicação da UNICER


O curso deu-me não só a base académica para partir para um doutoramento em Engenharia Química com confiança como também contribuiu marcadamente para o meu desenvolvimento pessoal e profissional. A formação em engenharia na ESB foi sem duvida uma base solida e primeiro passo no meu percurso profissional.

Luísa Freitas do Santos, Diretora do Departamento de Engenharia de Processos no Centro de Investigação de Medicamentos, GlaxoSmithKline (Reino Unido)


A minha passagem pela ESB proporcionou-me ver o mundo e aplicar os meus conhecimentos para além das fronteiras portuguesas – desde França, onde fiz estágio na Nestlé, até ao Reino Unido, onde ainda me encontro a trabalhar para a Kraft Foods. Isto demonstra que os cursos da ESB são reconhecidos internacionalmente por empresas multinacionais.

Mara Gonçalves, técnica superior da Kraft Foods (Oxfordshire, Reino Unido)


Do tempo passado na Escola Superior de Biotecnologia, ficou […] a sensação de ter construído uma base sólida para o que seria a minha carreira.

Mário Carneiro, Diretor de Qualidade, Medicina Laboratorial Dr. Carlos da Silva Torres, S.A. (Porto)


A minha passagem pela ESB dá-me a bagagem necessária para embarcar na viagem pelo vasto mundo que é a área das Ciências da Nutrição. Abre-me portas para as inúmeras variantes que esta temática comporta. Permite-me ainda desenvolver um espírito proactivo e adquirir valiosos conhecimentos para a vida futura.

Isabel Costa, aluna do 3º ano de Ciências da Nutrição


Estudar na Universidade Católica Portuguesa significa acreditar que muitos dos nossos sonhos se podem transformar em realidade. O curso que frequento faz-me compreender todo o capital de descobertas das Ciências da Nutrição, que contribuem para o progresso da sociedade onde todos nos inserimos.

Catarina Moreira, aluna do 3º ano de Ciências da Nutrição


Como instituição de ensino, a ESB alia a excelente formação a uma equipa docente sempre disponível e motivadora. Aqui, como aluna do Curso de Ciências da Nutrição, sei que irei adquirir as competências necessárias de modo a atingir os meus objetivos profissionais sem quaisquer reservas.

Sónia Almeida Melo, aluna do 1º ano de Ciências da Nutrição