Investigadoras da Escola Superior de Biotecnologia homenageadas no livro “Mulheres na Ciência”

Terça-feira, Março 14, 2023 - 16:48

As investigadoras Célia Manaia, Marta Vasconcelos e Paula Teixeira, do Centro de Biotecnologia e Química Fina (CBQF) da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa, fazem parte do livro “Mulheres na Ciência” 2023, uma iniciativa da Ciência Viva – Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica. “Da Biologia à Matemática, da Química às Ciências Sociais, da Física à Arqueologia, das Neurociências à Geografia, da Engenharia à História, das Ciências do Espaço à Filosofia”, este livro que, já vai na sua quarta edição, integra 101 mulheres cientistas portuguesas de diferentes áreas do conhecimento.

Célia Manaia é microbióloga. Marta Vasconcelos é bióloga. Paula Teixeira é engenheira alimentar. Em comum têm a paixão pela investigação e a instituição onde a exercem: o Centro de Biotecnologia e Química Fina da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa. No seu texto, Célia Manaia, realça “A ciência tem o duplo efeito de me fascinar e de me fazer sentir minúscula! Para mim, fazer investigação é questionar, experimentar e comunicar. Entre o divertimento, a persistência e alguma resiliência, há também o sentido de dever de integridade, de dar a conhecer o que é relevante, de inspirar os mais jovens.

Marta Vasconcelos define-se como “uma apaixonada pela ciência: por criar questões, por desenhar projetos e reunir equipas que respondam às mesmas, e por partilhar as soluções com a sociedade.” Neste momento, trabalha “na interface entre a biologia das plantas e a nutrição humana. Em particular, procuro perceber o impacto das alterações climáticas no conteúdo nutricional e na produtividade dos alimentos de origem vegetal.” A bióloga indica ainda que tem “tido a sorte de conseguir trabalhar naquilo que me apaixona e que me faz feliz. As minhas escolhas profissionais têm sido tomadas com naturalidade, e nem sempre seguindo definições mais convencionais do que é ser bem-sucedido. Ser cientista deve sempre ir muito para além de questões de género, mas é sempre bom vermos o nosso trabalho inspirar outras meninas, raparigas, mulheres a seguir os seus sonhos, e a saber equilibrar as diferentes dimensões das suas vidas.“

Paula Teixeira refere no seu texto que tem dificuldade em imaginar outra carreira para além do ensino e investigação em microbiologia e segurança alimentar. “É um privilégio poder aprender e ensinar, partilhar a paixão pelo conhecimento e contagiar o entusiasmo, despertar talentos, acompanhar o crescimento dos estudantes e contribuir para a saúde e bem-estar da sociedade, sem descurar a vida familiar.” Sobre a sua inclusão no livro, sente-se honrada por “fazer parte de um grupo que inclui Mulheres cujo percurso tem sido fonte de inspiração para mim e Mulheres a quem terei passado algum do meu entusiasmo pelo trabalho que faço e, talvez até, inspirado. É com muito orgulho que vejo reconhecido o meu trabalho e agradeço à Ciência Viva este reconhecimento. Mas o meu trabalho é também o trabalho de Todas e de Todos as/os que me têm acompanhado neste percurso, pessoal e profissional, e a quem este reconhecimento é meritoriamente extensivo. Não posso deixar de agradecer à instituição que tem proporcionado as condições para o meu trabalho, a Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa no Porto e o CBQF, o seu centro de investigação.

O livro foi apresentado na passada quarta-feira, 8 de março, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, e contou com as intervenções de Elvira Fortunato, Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Isabel Ferreira, investigadora e atual Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Rosália Vargas, presidente da Ciência Viva, José Luís Cardoso, presidente da Academia das Ciências de Lisboa,  entre outros membros presentes. O livro reúne testemunhos de diferentes gerações e áreas do conhecimento, retratados pelos fotógrafos Alípio Padilha, Ana Brígida, Diana Tinoco e Rodrigo Cabrita.

As mulheres cientistas representam atualmente mais de 50% do total de investigadores em Portugal e o seu papel tem sido crucial para o progresso da ciência e a tecnologia nacionais.

Faça o download do livro “Mulheres na Ciência” (2023).

Leia também a notícia sobre o Dia Internacional das Mulheres e Raparigas na Ciência.